domingo, 15 de julho de 2018

[COPA 2018] Liberté, Egalité, Fraternité e Mbappé: França conquista 2° título mundial

Vinte anos depois, a França sentiu novamente o gostinho do título mundial após bater a Croácia por 4 a 2 no Estádio Lujniki, em Moscou. Com direito a golaços e uma ajudinha da péssima arbitragem (que não chega a diminuir o mérito dos atletas), a equipe de Didier Deschamps confirmou o favoritismo sem entrar em campo de salto alto, como havia feito na fatídica final da Eurocopa em 2016, perdida para Portugal.
Os Blues iniciaram a partida recuados, intimidados pela ferocidade croata, porém inauguraram o placar com um gol "roubado" aos 18 minutos: Griezmann cobrou uma falta inexistente e Maduzkic, tentando interceptar a bola, acabou mandando para a própria rede. A Croácia não se fez de rogada e empatou a parada aos 27 minutos, com um belo tento de Perisic. Entretanto, o juiz entrou em cena mais uma vez, marcando um pênalti polêmico a favor dos franceses, que converteram bem o lance com Griezmann.
Na segunda etapa, os gauleses cresceram ainda mais e ampliaram o escore com Pogba, que precisou de duas tentativas para superar Subasic e anotar o 3° tento. Seis minutos depois, o jovem Mbappé praticamente selaria a vitória da sua equipe deixando o dele com um chutaço de fora da área, sem chance para o arqueiro croata. Mesmo a invasão de quatro integrantes do Pussy Riot (grupo feminista que se opõe ao governo Putin) e um gol de honra de Mandzukic após trapalhada do goleiro Lloris não atrapalharam a incontestável campanha da equipe de Didier Deschamps, que se tornou o terceiro campeão mundial como jogador e técnico na história das Copas (os outros felizardos foram Zagallo e Beckenbauer). Já a vice-campeã Croácia pode se orgulhar de sua melhor campanha na história do torneio e do seu meia Luka Modric, que levou o prêmio de melhor jogador da competição.

sábado, 14 de julho de 2018

[COPA 2018] Bélgica assume 3° lugar e faz sua melhor campanha em Copas

Belgas e ingleses tiveram em São Petersburgo um último compromisso na Copa: a disputa do 3° lugar, que praticamente reeditava o confronto entre as duas seleções na rodada do Grupo G e vencido pelos Diabos Vermelhos. A equipe de Roberto Martinez levou a melhor novamente e superava com certo louvor a campanha de 1986, quando o país chegou à quarta colocação.
O triunfo da Bélgica começou a se desenhar com Meunier, que recebeu cruzamento de Chadli para enfim marcar o seu primeiro (e último) gol no Mundial, aos 4 minutos de jogo. Em vantagem, a geração de Hazard e companhia continuava a todo vapor pressionando o jovem Time da Rainha.
Na segunda etapa, os Diabos Vermelhos continuavam no domínio da partida e não chegaram a se incomodar tanto com as investidas inglesas. A vitória foi sacramentada por Hazard, aos 36 minutos, e os belgas deixariam os gramados russos com a merecida terceira colocação, sua melhor campanha em Mundiais. Mesmo derrotada, a Inglaterra não fica tanto no prejuízo, pois um de seus principais jogadores - Harry Kane - encerra a competição como artilheiro, com seis gols.

quarta-feira, 11 de julho de 2018

[COPA 2018] Croácia bate Inglaterra e chega à sua primeira final

Vinte anos e três prorrogações seguidas depois, a Croácia enfim se classificou para sua primeira final em Copas do Mundo após vencer a Inglaterra por 2 a 1 no Estádio Lujniki, em Moscou. O histórico triunfo praticamente supera a campanha do time xadrez em 1998, quando terminou o Mundial da França na terceira colocação e a artilharia nos pés de Davor Suker.
O renovado English Team, que até então tinha chegado muito longe para uma equipe mais preocupada em se preparar para o Mundial do Catar (2022) do que propriamente em brigar pelo título na Rússia, saiu logo na frente aos 4 minutos de jogo, com um belo gol de falta de Trippier. Até o final da primeira etapa, o time de Gareth Southgate parecia destinada a decidir novamente uma Copa desde a sua primeira e única conquista há 52 anos, em casa. No segundo tempo, os rivais do Leste Europeu voltaram bem mais dispostos e, graças a mudanças no time que pegaram a Inglaterra de surpresa, empataram aos 22 minutos do segundo tempo, com Perisic. O goleiro Pickford foi acionado pelo ataque adversário várias vezes e suou bastante para ao menos forçar uma prorrogação.
No primeiro tempo extra, as duas seleções tiveram apenas boas chances uma contra a outra, mantendo a emoção dos 90 minutos regulamentares. No segundo, entretanto, o destino sorriu melhor para Mario Mandzukic, que recebeu a bola livre de marcação para anotar o segundo e derradeiro gol de seu país. Tão logo o juiz apitou o final da partida, os croatas asseguravam uma bela chance de conquistar seu primeiro caneco neste domingo (15/07) e, de quebra, vingar a eliminação para a França nas semifinais de vinte anos atrás. A jovem equipe inglesa, por sua vez, deixa o gramado de cabeça erguida pelo bom trabalho que tem feito até o momento na terra dos czares e se prepara para brigar pelo terceiro lugar com a igualmente talentosa Bélgica no próximo sábado (14/07).

terça-feira, 10 de julho de 2018

[COPA 2018] França vence Bélgica e está na final

Campeã mundial em 1998 e vice em 2006, a França chegou à sua terceira final em Copas ao derrotar a Bélgica por 1 a 0 em São Petersburgo. O gol da classificação gaulesa foi marcado pelo zagueiro Umtiti, que lembrou o antigo colega de posição Thuram, responsável pela vitória do seu país contra a Croácia na semifinal da edição disputada vinte anos atrás, em casa.
O primeiro tempo foi marcado pela intensa movimentação tática das equipes. Os belgas começaram com maior posse de bola, porém os franceses acordaram e passariam a ser mais objetivos no ataque. A insistência do time de Didier Deschamps surtiria efeito aos 5 minutos da etapa seguinte, quando Umtiti foi mais rápido que Fellaini durante um escanteio cobrado por Griezmann e mandou de cabeça para o fundo da rede, obrigando os rivais a se abrirem para tentar reverter o placar. Os Diabos Vermelhos esbarravam na defesa sólida do adversário e não conseguiam produzir metade do que haviam feito contra o Brasil nas quartas. Os Blues apenas se deram o trabalho de administrar a vantagem mínima até o apito final, que assegurou sua presença na final da competição, e agora esperam o vencedor do confronto entre Croácia e Inglaterra na outra semifinal, em Moscou. Enquanto isso, a Bélgica se prepara para brigar pela terceira colocação no próximo sábado, em São Petersburgo, ainda seguindo com chances de superar a campanha de 1986, quando ficou em quarto lugar.

sábado, 7 de julho de 2018

[COPA 2018] Croácia assegura última vaga das semifinais nos pênaltis

De um lado, a seleção anfitriã que espantou todos os prognósticos negativos e tentava alcançar as semifinais de uma Copa pela primeira vez desde a extinção da União Soviética, que havia conseguido o feito em 1966. De outro, o elenco atual de um país ex-integrante da antiga Iugoslávia que buscava repetir (ou até superar) a façanha da geração de Davor Suker, que terminou o Mundial da França na 3ª posição, em 1998. Não faltou emoção no duelo entre russos e croatas pelo direito de enfrentar a Inglaterra nas semifinais da competição.
Os donos da casa não se deixaram intimidar pelo favoritismo da Vatreni e abriram vantagem aos 30 minutos da etapa inicial, com um golaço indefensável de Cheryshev. Oito minutos depois, Kramaric aproveitou um rápido contra-ataque para deixar tudo igual. O confronto seguiu bastante disputado até a prorrogação. A Croácia virou o jogo com o zagueiro Vida e sua classificação seguiria bem encaminhada. Nos últimos minutos do tempo extra, porém, o brasileiro naturalizado russo Mário Fernandes assegurava uma nova igualdade no escore, forçando as cobranças de penalidades. Nessa disputa, Modric e seus compatriotas repetiram a dose e enfim chegavam a uma semifinal de Copa do Mundo vinte anos após a estreia de seu país na competição. Por outro lado, a derrota russa não saiu tão amarga: a equipe do treinador Stanislav Cherchesov deixou o gramado de Sochi - que sediava pela última vez uma partida do Mundial - bastante aplaudida pelo público como se tivesse vencido a partida. A campanha até as quartas de final não deixa de ser um mérito para um time que iniciou o torneio totalmente desacreditado até pela própria torcida.

[COPA 2018] De cabeça, Inglaterra chega às semifinais 28 anos depois

Em sua melhor atuação no Mundial até agora, o Time da Rainha venceu a Suécia por 2 a 0 em Samara e confirmou presença nas semifinais, o que não acontecia desde 1990. Para quem havia disputado as últimas Copas sob enorme desconfiança, os ingleses seguem muito bem na competição e sonham cada vez mais com o bicampeonato mundial.
A renovada seleção da Inglaterra abriu o placar aos 30 minutos da etapa inicial, em um escanteio cobrado por Ashley Young e finalizado com sucesso por Maguire, de cabeça. No segundo tempo, a Suécia passou a incomodar a meta adversária, mas a equipe de Gareth Southgate não se intimidou com a reação escandinava e anotou o segundo gol aos 12 minutos, também de cabeça, desta vez com Delle Ali após cruzamento de Lingard. Os autores dos tentos ingleses não foram os únicos destaques da partida: o goleiro Pickford atuou de forma brilhante quando exigido e Harry Kane, que ainda se mantém na artilharia, abria espaços para os companheiros enquanto não conseguia balançar as redes. O English Team aguarda a definição do vencedor do duelo entre Rússia e Croácia.

sexta-feira, 6 de julho de 2018

[COPA 2018] Brasil perde para Bélgica e hexa fica para 2022

A ótima campanha do Brasil no Mundial da Rússia não se confirmou no duelo contra a Bélgica em Kazan, agora há pouco. Um apagão tático e dois gols sofridos (um deles contra) depois, a Seleção correu atrás do prejuízo nos 45 minutos finais e chegou a diminuir o revés, mas já era tarde demais e o time caía diante de um rival europeu pela quarta vez seguida em Copas do Mundo, desde 2006. Os exaltados - e cada vez mais endiabrados - belgas se preparam para enfrentar a França em uma das semifinais.
Iniciando muito bem o confronto, o escrete canarinho partia para o ataque o tempo todo, criando diversas chances de gol e obrigando o goleiro Courtois a um trabalho incessante. Mas as brechas na defesa eram um convite aos belgas e renderam aos jogadores de Tite uma tremenda dor de cabeça. Aos 12 minutos, quando tentou cortar a bola desviada por Kompany durante um escanteio, Fernandinho acabou mandando para a própria rede. A situação se complicou aos 30 minutos, com Lukaku vencendo o meio-campista brasileiro e lançando para De Bruyne ajeitar o chute e ampliar o escore, sem chance para Alisson.
Depois do intervalo, a Seleção voltou com a cabeça mais fria e passou a atormentar sem dó os Diabos Vermelhos, com direito a um pênalti cometido por Kompany em Gabriel Jesus e não confirmado pelo juiz após revisão do VAR (bola fora da arbitragem!). Firmino e Douglas Costa pressionavam a Bélgica de um lado, enquanto Marcelo e Neymar tratavam de incomodá-la do outro. Renato Augusto anotaria o único tento da equipe aos 30 minutos, de cabeça, porém desperdiçou uma claríssima oportunidade de gol algum tempo depois. Por mais que se desdobrasse em campo, o Brasil não conseguiu superar a eficiência da Bélgica e viu o sonho do hexa adiado para a edição a ser disputada em 2022, no Catar, embora desta vez tenha caído de pé em terras russas.